Um tecido que elimina o coronavírus

Um tecido com micropartículas de prata é capaz de inativar 99,9% do coronavírus após dois minutos de contato. Pesquisadores de diversas instituições, inclusive da USP, asseguram que ele pode ser usado na fabricação de máscaras de proteção e roupas hospitalares. 

Para desenvolver a tecnologia, os pesquisadores do ICB-USP colocaram amostras do tecido em tubos que continham grandes quantidades do SARS-CoV-2, o vírus responsável pela covid-19. O produto, composto por uma mistura de poliéster, algodão e dois tipos de micropartículas de prata, se mostrou eficaz na eliminação do novo coronavírus.

O estudo foi desenvolvido com a Universitat Jaume I, da Espanha, o Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, e a startup Nanox, que já produzia tecidos que evitam a proliferação de fungos e bactérias.

A propriedade antibacteriana e fungicida do tecido de prata se mantém em até 30 lavagens. Para o novo coronavírus, os pesquisadores estimam que deve durar o mesmo tempo de proteção.