Trump ameaça empresas chinesas

O presidente Donald Trump quer retirar das bolsas americanas as ações das companhias chinesas que não se enquadrem nas normas contábeis dos EUA ou que não permitam o acesso às suas auditorias. As recomendações prevêem a retirada das empresas até 1º de janeiro de 2022 e a proibição imediata de novas listagens sem o cumprimento da regra.

Pequim proíbe os EUA de inspecionar as firmas de auditoria e o compartilhamento de documentos internos. A iniciativa é mais um capítulo da briga entre os EUA e a China, que já passou pelo fechamento de consulados nos dois países e até ameaça de proibir no território norte-americano o aplicativo Tik Tok, febre mundial entre jovens. 

De acordo com o Valor, a proposta só entra em vigor depois de um longo processo de análise e consulta pela Securities and Exchange Commission, órgão que regulamenta as bolsas americanas. A aprovação, se ocorrer, só será depois das eleições, previstas para novembro.