Teich: medidas serão pontuais

Sistema funerário de Manaus tem situação crítica.

As cidades de Manaus, Belém, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo são as que mais exigem atenção do Ministério da Saúde na crise do coronavírus. 

A Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário (Abredif) pediu um avião ao governo federal para levar a Manaus 2 mil urnas funerárias. A cidade tem mil unidades em estoque e tem realizado mais de 100 sepultamentos diários.

Em São Paulo, o governo do estado vem alertando que o isolamento social pode ser reduzido somente em algumas regiões. O índice médio de 48% na semana passada continua muito abaixo dos ideais 70%.

O Pará contratou 46 médicos cubanos que restaram do Programa Mais Médicos para reforçar o atendimento em Belém. Em Fortaleza, 98% das UTIs da rede pública estão ocupadas, e no Rio de Janeiro já se espera que o governo do estado prorrogue as restrições de circulação de pessoas.

Hoje o ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que as medidas adotadas vão observar a situação de cada estado em relação ao coronavírus, já que dos 5.570 municípios brasileiros, 192 registraram mortes pela Covid-19. O ministro se reúne esta semana com governadores.