Remdesivir: chegou a solução?

O remdesivir é um antiviral que já se mostrou promissor para o tratamento do Ebola em testes clínicos na África

Uma nova droga contra o coronavírus animou o mundo na noite de ontem: remdesivir.

Depois que um vídeo vazou nesta quinta-feira nos EUA, em que uma pesquisadora relatou animada o resultado bastante promissor de um teste clínico com 125 pacientes em Chicago, as ações do laboratório Gilead, fabricante do medicamento remdesivir, subiram 14% no after market e impulsionaram as bolsas da Europa, segundo o Financial Times. Neste momento (11h), as bolsas dos EUA e Brasil também operam em alta.

No vídeo, a médica infectologista Kathleen Mullane, que participa do estudo, relata a colegas que praticamente todos os pacientes, muitos em condições severas, melhoraram rapidamente e voltaram para casa em menos de uma semana. 

Tanto a médica como o Gilead reforçaram que é um estudo em andamento e que não iriam comentar os resultados, mas o otimismo com a possível descoberta de uma droga que trate a Covid-19 já havia se instalado e os mercados globais subiram.

O remdesivir é um antiviral desenvolvido para o tratamento do Ebola, que se mostrou promissor em testes clínicos na África, mas ainda não foi aprovado para uso em nenhum lugar do mundo. Em comum, Ebola e a Covid-19 são causadas por vírus de RNA, uma semelhança importante para uma droga que pretende atacá-lo.

É uma boa notícia? É. Já temos uma droga para tratar a Covid-19? Ainda não sabemos e vai demorar um pouco para termos certeza. Enquanto isso, vamos seguindo as orientações dos especialistas: ficar em casa e lavar as mãos com frequência.