Quase um plano nacional de imunização

O governo federal vai negociar 350 milhões de doses para vacinar 175 milhões de brasileiros em 2021, segundo o plano nacional de imunização contra a covid-19 lançado nesta quarta-feira (16). Ainda sem datas precisas, o novo plano incluiu a CoronaVac e mais as de Oxford/AstraZeneca, Covax Facility, Pfizer e Janssen. As farmacêuticas Bharat Biotech (Índia), Moderna (EUA) e Gamaleya (Rússia) também foram citadas. 

Na primeira etapa da vacinação estão os profissionais de saúde, idosos e doentes crônicos. No caso do imunizante da Pfizer, que demanda refrigeração a -70ºC e já está sendo aplicado no Reino Unido e nos Estados Unidos, deverá ser aplicado em trabalhadores da saúde nas capitais e regiões metropolitanas caso a compra seja efetivada. 

Numa quarta fase de grupos prioritários foram incluídos a população carcerária, pessoas com deficiência, comunidades tradicionais ribeirinhas, quilombolas, população em situação de rua e trabalhadores do transporte coletivo e rodoviários de carga. O governo federal prevê 3 milhões de doses no segundo trimestre de 2021, 8 milhões no terceiro trimestre e 27 milhões no quarto trimestre do ano que vem. Difícil entender esses números se apenas o Instituto Butantan alega produzir 1 milhão de doses por dia.