Profissional liberal deve pagar mais

O projeto de reforma tributária proposto pelo governo quer aumentar os impostos pagos pelos profissionais liberais que prestam serviços nas empresas ou têm remuneração livre de tributos. Na nova proposta, escritórios de advocacia, contabilidade, assessoria econômica e de comunicação, que pagam 3,65% de PIS/Cofins, passariam para uma alíquota de 12%.

Hoje, trabalhadores deixam de ser contratados pela CLT para prestar serviços como pessoa jurídica. O PJ chega a pagar até menos de um terço do que um trabalhador com carteira assinada, mesmo exercendo as mesmas tarefas. Para o ministro Paulo Guedes, a arrecadação extra ajudaria a financiar o Renda Brasil, que o governo quer criar para substituir o Bolsa Família.

Segundo a base da Receita Federal, os profissionais liberais que são isentos do pagamento do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) oscilam de 68,6% entre produtores rurais a 76% para advogados. A Ordem de Advogados do Brasil (OAB) já sinalizou que irá contra a proposta no Congresso.