Privatizações e concessões a todo vapor 

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (16) um plano, batizado de Retomada 21-22, que inclui 19 projetos e R$ 36 bilhões de investimento privado. As ações focam na infraestrutura, com PPPs e concessões, e na venda do projeto de construção do trem intercidades (São Paulo e Campinas), uma obra de US$ 1,4 bilhão. Também haverá a concessão das linhas 8 e 9 da CPTM, de rodovias no litoral e de 22 aeroportos regionais.

João Doria já havia anunciado a privatização da Sabesp, mas decidiu fazer antes uma capitalização da companhia. A empresa é candidata a disputar concessões fora de São Paulo. Em outros estados, os governos aceleram as concessões de serviços e o saneamento é uma das vedetes. Na terça-feira (20), serão abertas as propostas para água e esgoto nas cidades de Cariacica e Viana (ES). Para os próximos anos, o saneamento tem seis leilões previstos, com investimentos de R$ 55 bilhões.

Pelos estados, ainda há a previsão de concessões na operação de presídios, além de cerca de 8 mil quilômetros de estradas. A privatização do setor de Distribuição da CEB (Companhia Energética de Brasília) também está prevista para este ano e foi avaliada em R$ 1,4 bilhão. Minas Gerais quer privatizar a empresa de energia Cemig e a Codemig, que é sócia da produtora de nióbio CBMM. No BNDES, são 18 projetos em estágio avançado para concessões, com previsão de R$ 180 bilhões em investimentos.