Previdência em SP: mais uma chance perdida

Professores continuarão a se aposentar jovens no Estado de São Paulo

Em uma sessão tumultuada, com direito a confronto entre a Tropa de Choque e servidores que tentaram invadir o plenário da Assembléia Legislativa de São Paulo, foi aprovada em 2.ª votação a reforma da previdência do estado de São Paulo.

Passou a idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 para os homens, o fim de adicionais por tempo de serviço e da acumulação de vantagens temporárias. Os professores se aposentarão mais cedo que os outros servidores, aos 51 anos para mulheres e 56 para homens. Policiais civis e agentes penitenciários, aos 55 anos. Os militares ficaram de fora da mudança. Os deputados agora começam a votar os destaques, informa o Jornal Agora

O governador João Doria parece estar contente com a aprovação, mas fica uma pergunta: por que uma professora deve se aposentar aos 51 anos e outra servidora, como uma enfermeira de UTI, por exemplo, aos 62?