PPPs avançam na área da saúde

Hospitais de Manaus e Belo Horizonte terão gestão privada.

O grupo de saúde Opy Health fechou duas PPPs (parceria público privada) para a gestão de  hospitais. O investimento será de R$ 200 milhões e envolvem o Delfhina Azis, em Manaus e o Hospital do Barreiro, em Belo Horizonte. No total são 470 leitos. A Opy Health ficará responsável pela área administrativa. As contratações e aquisição de materiais continuarão sendo feitas pelo poder público.

A Opy Health analisa outras concessões na área da saúde, apostando na dificuldade do poder público de cumprir metas fiscais. A queda nos custos de administração de um hospital é de 20% quando ela está nas mãos da iniciativa privada, segundo o presidente do grupo, Otávio Silveira, em entrevista ao Valor.

Na rota de expansão ainda tem hospitais privados. Como o interesse da Opy é pela gestão, ela pretende manter fundadores, donos e médicos, que querem cuidar de áreas como a assistencial.

É a busca por eficiência em setores caros e deficitários, quando nas mãos do Estado. Na iniciativa privada é a prática da filosofia de que cada um faz o que sabe e gosta de fazer, o que também resulta em otimização de recursos financeiros e de capital humano. Se pensarmos bem, a lógica é similar. Não dá para ser especialista de hospitais a usinas hidrelétricas, de estradas a escolas ou de segurança pública a exploração de petróleo.