Pandemia aproxima medicina digital

A pandemia acelerou os preparativos para a medicina digital em todo o mundo. Startups de aplicativos de saúde, seguradoras, farmacêuticas e gigantes da tecnologia, como Amazon, Apple e Google, estão competindo para oferecer esses serviços. Os órgãos reguladores estão lutando contra a resistência dos hospitais.

Neste ano, as consultas por vídeo aumentaram de 1 mil para 100 mil por dia na Europa. A consultora McKinsey calcula que as receitas que incluem telemedicina e farmácia vão aumentar de US$ 350 bilhões no ano passado para US$ 600 bilhões em 2024. EUA, China e Europa estão investindo na transformação digital. Os “unicórnios” do setor têm um valor combinado de mais de US$ 110 bilhões. 

A Amazon pretende que a Alexa, sua assistente digital, seja capaz de analisar a tosse do usuário e dizer se foi causada por covid. Em novembro, a companhia lançou uma farmácia digital para assumir a distribuição de remédios para farmacêuticas, revendedoras e farmácias.