O polêmico teste em humanos

A infecção proposital em voluntários para acelerar os testes das vacinas contra a covid-19 ganha força na comunidade científica internacional e no Brasil. A organização americana 1DaySooner defende o teste de desafio em humanos, como é chamado, e recebeu o apoio de cerca de 150 cientistas, 15 deles ganhadores do Prêmio Nobel.

Segundo o Estadão, a organização já registrou a inscrição de 32 mil voluntários de 140 países. Mais de 9 mil deles são brasileiros. Nesse tipo de estudo, os voluntários recebem a vacina, ou o placebo, e são infectados com o vírus para que os cientistas testem o imunizante. Os defensores afirmam que com mais contaminados, milhares de vidas podem ser salvas mais rapidamente.

Nos estudos tradicionais, o contato dos voluntários com o vírus é feito de maneira natural, tornando o procedimento mais lento. Os especialistas estão divididos sobre se e quando esses testes poderiam ser iniciados, já que ainda não há um medicamento eficaz. Se a vacina contra o novo coronavírus não funcionar e a pessoa se infectar, não há garantia de recuperação.