Novo ministro da Educação deve distensionar relações

A expectativa do Planalto é de que Carlos Decotelli distensione as relações do MEC com o Congresso e o Judiciário.

O novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, ex-presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, foi anunciado na quinta-feira (25) pelo presidente Jair Bolsonaro.

Decotelli tem como principais e mais emergentes missões decidir pela realização do Enem e a aprovação da proposta sobre o Fundeb, o fundo de educação básica, permanente. Outra tarefa será fazer com que o MEC tenha um papel mais presente na reabertura das escolas fechadas com a pandemia do novo coronavírus. Segundo o ministro, sua gestão será técnica e não há espaço para polêmicas relacionadas à ideologia.

Oficial da reserva da Marinha, Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ, mestre pela FGV, doutor pela Universidade de Rosário, Argentina e pós-doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha. Sua indicação foi recebida com alívio pelo meio educacional.