Novo currículo do ensino médio

O Estado de São Paulo aprovou a lei do novo currículo do ensino médio elaborada em 2017. A grande novidade é que agora os estudantes terão 12 opções de cursos para escolher livremente. A implementação na rede pública e privada está prevista para o ano que vem e é também uma tentativa de conter o abandono escolar pós-pandemia.

Além das disciplinas tradicionais, a lei do novo currículo, aprovada em reunião do Conselho Estadual de Educação na quarta-feira (29), determina que deve ser oferecido pelo menos cinco itinerários formativos (linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e sociais aplicadas e formação técnica e profissional). Escolhendo linguagem, o aluno pode ter aula de roteiro e artes cênicas. Para matemática, robótica e games. Cada escola tem de oferecer ao menos duas opções, que poderão ser trocadas pelo aluno. Em São Paulo, além das cinco alternativas previstas na lei, foram criadas mais sete itinerários.

De acordo com a Base Nacional Comum Curricular, o objetivo é dar protagonismo ao estudante, desenvolvendo nele senso crítico, empatia e habilidades socioemocionais para tornar a escola mais atrativa e alinhada com a vida real. Outros estados, como Pernambuco, Minas Gerais, Paraíba e Mato Grosso do Sul, devem aprovar o novo currículo até o fim do ano. É um passo importante no enfrentamento do problema da educação no país.