NBA adia finais em protesto ao racismo

Em protesto histórico contra o racismo, após mais um caso de violência policial contra um negro nos EUA, os jogadores do Milwaukee Bucks não apareceram no jogo contra o Orlando Magic, marcado para a quarta-feira. A reação da NBA foi imediata adiando a rodada inteira das partidas finais. A WNBA, liga feminina de basquete, suspendeu três jogos. Na Liga de Beisebol (MLB), os Milwaukee Brewers e os Cincinatti Reds decidiram não se enfrentar.

Os boicotes nos esportes se somam aos três dias protestos que deixaram duas pessoas mortas nos Estados Unidos. Os manifestantes reagiram a um vídeo gravado no domingo (23) por um cidadão em Kenosha, no estado de Wisconsinpor. As imagens mostram que o afroamericano Jacob Blake, de 29 anos, foi atingido por vários tiros nas costas disparados por policiais. Ele permanece em estado grave e os policiais foram afastados.

O acontecimento ressuscitou a indignação nacional pelo assassinato de George Floyd, em 25 de maio deste ano. Em meio à campanha eleitoral, o candidato democrata Joe Biden ligou para a família de Blake e disse que a Justiça deve ser feita. Já o presidente Donald Trump defendeu a lei e da ordem, anunciando que enviará forças federais para deter a violência dos manifestantes.