Ministério da Saúde tira aplicativo do ar

O aplicativo do Ministério da Saúde “TrateCov”, que recomendava o “tratamento precoce” com medicamentos que têm sua ineficácia contra a covid-19 comprovada, saiu do ar na quinta-feira (21). A plataforma era indicada para os profissionais de Saúde de Manaus, mas qualquer pessoa podia acessar, preencher o cadastro e obter as receitas.

O Conselho Federal de Medicina pediu ao Ministério da Saúde que retirasse o “TrateCov” do ar imediatamente, porque o aplicativo validava drogas que não têm reconhecimento internacional, interferia na autonomia dos médicos, permitia o preenchimento por profissionais não médicos, induzia à automedicação e não deixava claro a finalidade do uso dos dados preenchidos pelos profissionais da saúde.