Mais temporários, menos efetivos

O número de servidores públicos federais por concurso caiu em 2020 ao menor nível em dez anos. A estratégia do governo tem sido contratar trabalhadores temporários. Os sindicalistas afirmam que esta é uma estratégia de reforma administrativa silenciosa.

De janeiro a outubro, 665 servidores públicos ingressaram por concurso público e não há previsão de novas contratações até o fim do ano. Em 2010, foram contratados mais de 16 mil concursados. Nesse intervalo, a contratação de temporários só aumentou. O número desses trabalhadores já chega a 27.503 em 2020. Em 2010, eram 20.287.

Neste ano, o INSS contratou temporariamente 8.230 servidores aposentados e militares inativos, o Ministério da Saúde, 9.275 médicos e enfermeiros, e o Ibama requereu 1.481 brigadistas provisórios para combater as chamas. Se a reforma administrativa já tivesse sido feita, o governo poderia fazer concursos e contratar com mais flexibilidade, garantindo melhores profissionais e melhores serviços à população. Como não foi, o governo se vira como pode para não inchar irreversivelmente ainda mais o estado.