Lições do Google

O Google vai dar US$ 1 mil para cada um de seus empregados por estarem trabalhando em casa. Não é para que comprem equipamentos ou adequem seu home office. Isso a empresa já tinha feito antes. O objetivo agora é que seus empregados tenham dinheiro para cuidar da saúde, física e mental.

Segundo Sundar Pichai, CEO da Alphabet e do Google, a expectativa é que pelo menos até o final do ano a maioria de seus funcionários vai continuar trabalhando remotamente. A empresa já ofereceu cursos online para ajudar na transição e manter a produtividade no trabalho em casa.

Nessa quarta-feira (3), a empresa anunciou a doação de US$ 37 milhões para combater o racismo e Pichai pediu que seus funcionários fizessem juntos 8 minutos e 46 segundos de silêncio, o tempo que o negro assassinado George Floyd ficou sufocado pelo joelho de um policial branco, para “honrar as vidas negras perdidas”.

Na ausência de líderes políticos, os líderes empresariais têm tomado a frente e dado o exemplo. Mostram que o papel das empresas não se restringe a dar empregos ou a oferecer produtos e serviços. É preciso ter e exercitar a empatia com seus funcionários e o público em geral.