Guedes pede pressa

Paulo Guedes quer aprovar o que é consenso na proposta da reforma tributária antes das eleições municipais, cujo calendário ainda está indefinido. O chamado IVA, a unificação dos tributos federais, poderia ser aprovado agora, deixando o ICMS, que é cobrado pelos estados e mais difícil de negociar, para ser discutido depois. Também quer incluir alguma desoneração da folha e flexibilizar alguns direitos trabalhistas para gerar mais emprego no Brasil pós pandemia.

O ministro da Economia está com pressa porque o calendário das eleições pode começar em dois meses se for aprovada uma proposta que tramita no Congresso e as campanhas eleitorais costumam atrapalhar o encaminhamento das pautas. Com a pandemia, a formação de consensos e os debates parlamentares para temas polêmicos se tornaram mais difíceis.

A lei de saneamento básico, marco regulatório importante e que pode destravar grandes investimentos privados, está em andamento no Senado, devendo ser votada nesta semana. Mas a autonomia do Banco Central e a privatização da Eletrobrás enfrentam maiores dificuldades para entrar ainda neste ano.