Ex-presidente da Petrobras começa a pagar

A corrupção na Petrobras finalmente começou a doer no bolso de José Sérgio Gabrielli, diretor financeiro entre 2003 e 2005 e presidente da estatal de 2005 a 2012, durante os governos petistas. O Tribunal de Contas da União bloqueou seus bens e a Controladoria-Geral da União cassou sua aposentadoria de professor da Universidade Federal da Bahia.

As punições se referem a um dos muitos casos de desvios na Petrobras: superfaturamento de R$ 960 milhões na compra de tubovias para a Refinaria Abreu Lima, aquela aventura da dupla Lula-Hugo Chávez. Somente nesse item, o contrato era de R$ 3,56 bilhões. 

Gabrielli foi coordenador da campanha de Fernando Haddad à presidência em 2018.

Os Realistas esperam que o caso abra um precedente e se espalhe para todos os funcionários públicos que violam as leis. Uma das práticas mais revoltantes no Brasil é a de enviar os maus servidores para casa com aposentadorias polpudas. Ou seja, a grande punição é não terem mais que “trabalhar”.