EUA abandonam a cloroquina

A FDA, agência reguladora de medicamentos dos EUA, cancelou na segunda-feira (15) a permissão para o uso de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes em casos graves da covid-19. O órgão informou que “não é mais razoável acreditar que as formulações orais de hidroxicloroquina e de cloroquina possam ter eficácia no tratamento da doença e que seus benefícios superem riscos conhecidos e potenciais”. 

Estudos preliminares que haviam sido considerados pela FDA não se mostraram eficientes nas pesquisas clínicas. “Foi escancarado, com uma série de trabalhos muito bem conduzidos, que os remédios não tem eficácia nenhuma. Diante dessas novas evidências, a FDA não poderia manter uma autorização emergencial”, afirma a bióloga Natália Pasternak, pesquisadora da USP e presidente do Instituto Questão de Ciência.

No Brasil, o Ministério da Saúde não só manteve a indicação do remédio como ampliou seu uso para gestantes e crianças, mesmo com parecer contrário da Sociedade Brasileira de Pediatria. O espaço da ciência nesse governo se reduz dia a dia.