Em parceria com a sociedade

O prefeito Bruno Covas anunciou nesta quinta-feira o protocolo de abertura da cidade de São Paulo. Negócios imobiliários, comércio, concessionárias, escritórios e shopping centers poderão, teoricamente, abrir a partir de 1.º de junho. Sim, teoricamente. Antes as entidades setoriais deverão propor um protocolo sanitário de operação que deverá ser aprovado pela prefeitura. O protocolo deve incluir normas de higiene e testagem, autorregulação, fiscalização e comunicação a consumidores e funcionários. A régua sanitária é da prefeitura, baseada na experiência internacional, mas quem vai dizer como ela será atingida serão as empresas.

Na prática, a prefeitura está chamando a sociedade à sua responsabilidade. É mais confortável quando o poder público nos diz o que fazer. Se gostamos, e quase nunca gostamos, aplaudimos. Se não, reclamamos. A responsabilidade não é nossa, é do governo que planejou errado, decidiu errado. Dessa vez vai ser diferente. Seremos todos co-responsáveis pelo processo de abertura. Como já estamos sendo durante a quarentena, evitando sair de casa, lavando as mãos e usando máscaras. 

E tem mais. Como as creches e escolas permanecerão fechadas, o prefeito mostrou preocupação com as mães que não terão com quem deixar seus filhos. Mais um problema para as empresas resolverem.