Commodities em alta eleva inflação do consumidor

Os preços de insumos registram a maior alta desde o início do Plano Real, fazendo com que a inflação chegue fortemente no consumidor. Soja, milho, carnes e minério de ferro acumularam alta de 68% nos 12 meses encerrados em outubro, segundo levantamento do economista Andre Braz, do Ibre FGV.

Essa pressão na inflação é resultado da desvalorização cambial e do aumento do preço dessas matérias-primas no mercado externo. O rápido reaquecimento da demanda e o desabastecimento de alguns produtos por causa do aumento das exportações também influenciaram o aumento dos preços.

A inflação estará em alta até maio do próximo ano, ficando acima de 6% em 12 meses, mas deve encerrar 2021 entre 3,55% e 4,5%. Sem a valorização do real, o fim da alta dos commodities no exterior e do desequilíbrio entre oferta e demanda vai ser difícil controlar a inflação.