China aprova uso da Ad5-nCOV em militares

A Ad5-nCOV, da empresa especializada CanSino e que havia sido a primeira vacina a chegar na fase 2 dos testes, recebeu patente do governo da China e já foi aprovada para uso limitado em militares do Exército.

A CanSino desenvolveu uma abordagem similar à vacina do Ebola, apostando em um patógeno modificado do grupo dos adenovírus. A principal diferença paras as vacinas que usam RNA é que o adenovírus geneticamente modificado pode apresentar maior imunização, mas também efeitos colaterais. É uma abordagem muito parecida com a utilizada pelos pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

A Arábia Saudita já anunciou neste mês que pretende iniciar a fase 3 dos testes, a última antes de registrar a vacina da CanSino no país. A Rússia, o Chile e o Brasil estão em período de negociação com a empresa chinesa.