Ceará: o estrago da PM

Policiais voltaram ao trabalho depois de paralisação, mas sem viaturas, danificadas por eles mesmos. 

A Polícia Militar do Ceará trabalhou nesta segunda-feira na recuperação das viaturas usadas pelos manifestantes durante a paralisação de 13 dias da PM do estado. Veículos da corporação foram danificados pelos manifestantes e usados para bloquear entradas em unidades da PM durante o motim na semana passada. Os primeiros trabalhos foram de encher pneus e dar carga nas baterias das viaturas.

Em Fortaleza, perto de um único batalhão, havia 50 carros da PM parados. Veículos da Força Nacional ainda estavam nas ruas, segundo o UOL. Em outra região foi feita interdição em um acesso à saída da cidade para recolher viaturas.

Em um vídeo divulgado no site do governo do Ceará, o governador Camilo Santana reafirmou que não haverá anistia aos policiais que infringiram a legislação e que os processos abertos contra eles terão continuidade. Após decisão judicial foram soltos 46 PMs presos na paralisação. 

Na noite de domingo, quando foi anunciado o fim da greve, o ex-ministro Ciro Gomes, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o presidente Jair Bolsonaro se atacavam em suas redes sociais, reivindicando a responsabilidade pelo fim da paralisação.