Boias de salvação

Aumento do crédito e mudanças nas relações do trabalho são medidas para reduzir os efeitos do coronavírus na economia.

As empresas com problemas de caixa terão R$ 55 bilhões do BNDES. Para as micro e pequenas, R$ 70 milhões em crédito. Os trabalhadores ficarão com R$ 20 bilhões transferidos do PIS/Pasep para os saques extraordinários do FGTS. Novas medidas são anunciadas todos os dias, envolvendo bilhões de reais para tentar salvar a economia.

O BNDES suspendeu para as empresas o pagamento de parcelas de financiamento direto, que somam R$ 19 bilhões. O banco também abriu mão, temporariamente, de R$ 11 bilhões, devidos em financiamentos indiretos.

A necessidade de isolamento social colocou uma massa de funcionários em férias antecipadas; outra parte continua trabalhando de casa. A rotina só permanece a mesma para os que atuam em atividades essenciais.

Os informais que trabalham na rua, receberão uma ajuda de R$ 200 durante 3 meses. Para quem tem carteira assinada o governo editou uma Medida Provisória (MP) que flexibiliza a legislação trabalhista e permite a suspensão do contrato por até 4 meses, além de outras mudanças, válidas para o período de enfrentamento da crise.

Algumas ferramentas ajudam o empresário a se organizar neste período. O Sebrae preparou um guia rápido com 5 dicas para ajudar na gestão financeira dos negócios. O site também está cheio de cursos gratuitos e online. Se você tiver tempo livre, agora é o momento de se atualizar.

É importante entender que estamos vivendo um momento sem precedentes. E o governo, como nós, está tentando achar soluções para um problema dificílimo. É preciso sacrificar ao mínimo o trabalhador de um lado e garantir a sobrevivência das empresas de outro. Disso depende de como vamos atravessar os próximos meses e da velocidade da recuperação que teremos depois que a crise passar. Não vai ser fácil.