BC proíbe pagamentos no Whatsapp

A nova função do Whatsapp que permitiria pagamentos e transferências para usuários foi suspensa nesta terça-feira (24) pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica e o Banco Central.

O serviço anunciado na semana passada tornaria o Brasil o primeiro país do mundo a enviar e receber dinheiro pelo aplicativo, por meio de uma parceria com a Cielo. O Cade impôs medida cautelar alegando que a parceria poderia inviabilizar a concorrência. A Cielo tem grande participação no mercado e o Whatsapp possui mais de 130 milhões de brasileiros conectados.

Defendendo estar preservando um ambiente competitivo adequado para o bom funcionamento do sistema de pagamentos, o BC suspendeu também os serviços que seriam oferecidos pelas bandeiras Visa e Mastercard, outros dois parceiros do Whatsapp.

O BC está desenvolvendo sua própria plataforma de pagamentos digitais, anunciada em fevereiro. Batizada como Pix, a ferramenta será obrigatória para instituições com mais de 500 mil clientes e está prevista para iniciar as operações em 20 de novembro.

É um caso inusitado de reserva de mercado estatal, onde o Banco Central proíbe uma iniciativa que poderia concorrer com a sua que ainda nem foi implementada. A alegação de que “não há concorrentes” é ainda mais inusitada. Como ter concorrentes se é uma novidade? É o primeiro caso onde uma inovação é proibida justamente por ser uma… inovação.