BC mantém Selic, mas tira ‘prescrição futura’

O Copom do Banco Central (BC) decidiu manter a Selic em 2% ao ano mesmo com a alta da inflação. O colegiado, no entanto, retirou “forward guidance”, a prescrição futura adotada desde agosto que estabelecia condições para o Copom se comprometer a não aumentar os juros. O BC informou que as condições da inflação deixaram de ser satisfeitas. A projeção de alguns analistas é que a Selic termine 2021 em 3,50% ao ano.

Como o IPCA fechou dezembro com alta de 1,35% pressionado pela alimentação e preços administrados (como energia elétrica), houve alta de 4,52% no acumulado de 2020. Em 2021, a meta de inflação perseguida pelo BC é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). Para 2022, a meta é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2% a 5%).