Atraso da LGPD facilita vazamento de dados 

Além da nossa privacidade, o recente vazamento de informações de 223 milhões de brasileiros expôs também o atraso do Brasil na aplicação de leis de proteção de dados. A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) está em vigor desde 2020, mas a Autoridade Nacional de Proteção de Dados, responsável pela fiscalização, ainda não está funcionando e não pode aplicar multas até agosto deste ano, por decisão do Congresso.

A falta de limites para guardar dados pessoais no Brasil permite que empresas e órgãos do governo coletem todas as informações possíveis e cruzem livremente as bases de dados, acumulando mais conhecimento sobre os cidadãos que deveriam ter. A ausência de penalidades e definição de responsabilidades vigentes até que a LGPD se torne efetiva, não estimula o investimento em segurança, tornando os vazamentos uma constante.