Anvisa: não existe ‘tratamento precoce’ 

O “tratamento precoce”, defendido pelo presidente Bolsonaro, caiu por terra quando a Anvisa afirmou que não há alternativa terapêutica para combater a covid-19. Durante a aprovação para uso emergencial das vacinas CoronaVac e AstraZeneca/Oxford, os técnicos da agência reguladora deixaram claro que a imunização é nossa única arma até o momento.

Para a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz, Margareth Dalcolmo, a reunião da Anvisa ajudou a desmistificar a enganação defendida pelo Ministério da Saúde, que insiste em recomendar o uso de cloroquina e ivermectina. Os medicamentos não têm eficácia contra a covid-19. Até o Twitter marcou como enganosa e potencialmente prejudicial uma publicação da pasta da Saúde que recomenda a solicitação do “tratamento precoce” nos postos de saúde.