Antipolítica perde espaço nas eleições

As eleições de domingo (15) mostraram que a antipolítica, que saiu vitoriosa em 2018 com a eleição de Jair Bolsonaro, perdeu adeptos. Partidos de direita caminharam para o centro, que se fortaleceu com MDB, PP, PSD e DEM conquistando a maioria dos votos. Uma esquerda renovada também se destacou em algumas capitais.

A onda populista da direita dá sinais de estar passando e levando com ela seus simpatizantes. A insistência de Bolsonaro em menosprezar a pandemia enfraqueceu o lado dos que negam a política. Candidatos que apostaram na ciência se saíram melhor nas urnas.

Em São Paulo, Bruno Covas (PSDB) manteve distância do governador João Doria, que tem alta rejeição na capital, e vai ao segundo turno com Guilherme Boulos (PSOL). No dia 29 de novembro, no segundo turno das eleições, o eleitor emitirá novos recados para o futuro político do país.