Acabar com a farra ou prejudicar a ciência?

O abuso de alguns prejudica a todos

A Academia Brasileira de Ciências e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência pediram ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, que revise a nova norma para a participação de docentes em congressos no Brasil e no exterior.

Uma portaria do fim do ano passado determina que para eventos internos são permitidos até dois participantes por unidade pública de educação ou de ciência. Se for no exterior, apenas um representante. Mais que isso, só com aprovação específica do MEC.

As entidades de docentes e cientistas lembram que em muitos casos grupos de pesquisadores trabalham no mesmo tema, mas em linhas distintas. Limitar a um ou dois participantes é reduzir drasticamente a obtenção de conhecimento.

É verdade que eventos patrocinados para outras cidades e países se tornam financiamento público de férias indevidas de alguns participantes, mas também há muita gente séria que pode ser prejudicada.