6 milhões perderão o auxílio emergencial

A prorrogação do auxílio emergencial de R$ 300 até dezembro deixará de fora 6 milhões de beneficiários. Segundo a Folha de S.Paulo, que ouviu técnicos do Ministério da Economia, mudanças nas regras definidas pela MP da prorrogação reduziram sua abrangência.

A MP original não tinha um “prazo de validade”, mas agora os pagamentos devem ser feitos até 2021. Quem não receber até dezembro, não recebe mais. Outra mudança foi reduzir de três para duas cotas de auxílio por família. O governo deve economizar com essas alterações cerca de R$ 5,7 bilhões por mês – R$ 22,8 bilhões até dezembro. 

Segundo a assessoria de imprensa do ministério, 921 mil inscritos deixaram de receber o auxílio por causa de fraudes ou irregularidades no cadastro, mas a pasta não informou por que outros 4,8 milhões ficarão de fora.