24 estados precisam investir mais em saneamento

A Lei do Saneamento Básico, sancionada em julho deste ano, determina que o país tem que chegar em 2033 com 99% da população atendida com água tratada e 90% com coleta e tratamento de esgoto. Se a média atual de investimentos estaduais for mantida, apenas Distrito Federal, São Paulo e Paraná atingirão as metas.

Levantamento do Instituto Trata Brasil aponta a necessidade de 24 estados ampliarem os recursos investidos em saneamento básico. O Amapá, pior estado nesse estudo, precisa passar da média de R$ 6 milhões anuais investidos entre 2014 e 2018 para R$ 141 milhões. 

Seguindo o caminho oposto ao da universalização proposto pelo Plano de Saneamento Básico, entre 2014 e 2018 houve redução de 12,3% do investimento em água e esgoto. O investimento no abastecimento de água regrediu 7,1% e no de esgoto, 30,9%.